Para um Amor no Recife

Gosto muito de ler cartas. É quase como bisbilhotar a intimidade alheia mas com permissão. A intimidade em livros. As trocas entre Fernando Sabino e Clarice Lispector, Caio Fernando Abreu e seus vários amigos, Helio Oiticica e Ligia Clark, são inúmeros e leio todos que me cairem nas mãos. São registros da vida afetiva, doméstica, bastidores daqueles que nos interessam. Esses dias, lembrando das primeiras leituras de adolescente, comentei em casa como eu descartava livros que não me ajudavam em nada, quer dizer, os que não me apontavam caminhos, soluções pros dilemas que vivia. Isso mudou um pouco. Ainda procuro nos livros a minha orientação mas também aprendi a ler por puro prazer. Com a música acontece a mesma coisa. Tem as que mandam recados e as que divertem, as que trazem lembranças, as feitas pra voçê.
Todo esse preâmbulo pra dizer que não sei pra quem Paulinho da Viola fez “Para Um Amor no Recife” mas que se fosse pra mim eu derretia. Transcrevi a letra aqui nesse post – leia pra ver se eu não tenho razão.
Paulinho gravou esse lindo samba em 1971 com Elton Medeiros e Marçal marcando o ritmo e arranjo de Lindolfo Gaya. Marina Lima, no final dos anos 90 gravou com os teclados de Willian Magalhães no Registros à Meias Voz. No clipe o autor aparece tocando agogô. Lindos. Todos eles.

Para Um Amor no Recife
Paulinho da Viola

A razão porque mando um sorriso
E não corro
É que andei levando a vida
Quase morto
Quero fechar a ferida
Quero estancar o sangue
E sepultar bem longe
O que restou da camisa
Colorida que cobria minha dor
Meu amor eu não esqueço
Não se esqueça por favor
Que voltarei depressa
Tão logo a noite acabe
Tão logo este tempo passe
Para beijar você

Ouvi essa música e muitas outras com Marina Lima hoje logo pela manhã conferindo a edição do Natura Musical que fiz com ela. Ouvir a entrevista e as canções foi um prazer imenso. Sou fã dessa artista há anos e suas músicas pontuaram meus bastidores. Acompanho sua carreira, estou curiosa pra ouvir o novo disco com homenagens à São Paulo e participações de Karina Buhr e Edgard Scandurra. Muito curiosa.
No Carnaval de Recife uma prévia desse encontro tão improvável e interessante:

3 comentários sobre “Para um Amor no Recife

  1. No vídeo, o letreiro indica a autoria de Marina Lima e Antonio Cícero. Um lapso, fruto do açodamento internético. Esta é uma das muitas obras-primas de Paulinho da Viola. Romantismo e alusão política juntos (“tão logo a noite acabe/Tão logo este tempo passe”).

    Grande post.

  2. Por falar em cantoras pernambucanas, o que você acha da Mônica Feijó?

    Ouvi um CD dela e gostei bastante, gostaria de saber sua opinião sobre o seu trabalho e quem sabe ouvir alguma coisa dela em seus programas. Estou enviando o link de uma música dela para que você faça seus comentários. Obrigada. http://www.youtube.com/watch?v=oxMO6dAtgV8
    Ana Cecilia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s