GAL, a baiana que deixa a mocidade louca!

Ninguém representou melhor a juventude dos anos 60, 70 no Brasil do que Gal Costa. Uma mulher linda, libertária, dando seu recado de novos tempos com pés descalços, muita voz e atitude. Fez espetáculos antológicos, gravou discos que representavam sua geração na arte e no comportamento com capa de Hélio Oiticica, poemas de Torquato Neto, Waly Salomão e Capinam, músicas novas de Caetano, Gil, Melodia, Jorge Ben, João Donato. Sua voz foi responsável por grandes sucessos na carreira desses autores e outros mais. Fez o Brasil cantar Caymmi e Ary Barroso, deu novos ares pra Chico Buarque e Tom Jobim. Gal é uma das maiores cantoras do Brasil.

 

E quando digo isso não estou sozinha. O poeta Torquato Neto em sua Geléia Geral escreveu em 1971 por ocasião do show Gal a Todo Vapor:

“Disse e repito: Gal é a maior cantora. E garanto.
E você, bobão tropicalista, não venha me falar em épocas: todo mundo sabe que existem cantoras maiores em cada “época”, para todas as “épocas”, e que Aracy é a maior cantora e que Angela e Dalva também são as maiores e que Elizeth ainda é a maior cantora. Mas se você quer saber mesmo da maior cantora, a que sintetiza melhor e mais profundamente todas as “épocas” aqui, a mais quente, perfeita e livre e eu lhe digo, bobão: Gal. “

Aqui ela canta Torquato Neto.

Agora cantando Caetano Veloso.

E registrando pra história uma canção de Roberto e Erasmo Carlos.

No programa Ensaio, do gênio Fernando Faro, fazendo Macalé e Duda com o Som Imaginário.

 

3 comentários sobre “GAL, a baiana que deixa a mocidade louca!

  1. Pingback: Depois de Recanto | NOIZE

  2. Patrícia!
    Olá,Tudo bem??
    Queria só acrescentar algo à paixão,respeito e consciente admiração ao trabalho de GAL COSTA que compartilhamos.
    Quando se fala de Gal, normalmente,se tem uma ênfase nos anos sessenta/setenta, e é até compreensível,pelo muito que há de excelência no trabalho da artista nesse período.Porém, na qualidade de admirador e porque não dizer, de um aprendiz, já que a tenho como voz guia para minha noção de cantar,ainda que seja um homem,eu lamento que a própria Gal e os que a admiram esqueçam com tanta frequência que o auge,o atingimento da perfeição absoluta da voz dela se situa exatamente nos gloriosos anos oitenta com desdobramentos interessantíssimos no início dos noventa.O foco para o muito que Gal iria audaciosamente mostrar,se transformando numa unanimidade e após a morte de Elis,Rainha absoluta das vozes femininas no Brasil se daria justamente no estrondoso sucesso de “GAL TROPICAL”(1979),show/disco histórico da virada de Gal para o show biz e a visibilidade como artista absolutamente madura e pronta para o estrelato que se consolidaria exatamente à partir (e cada vez mais) dos trabalhos que se sucederiam nos anos oitenta.Talvez seja o momento de se trazer luz à esse período de atuação magistral de GAL COSTA.
    _____________________________________(JorgeRamiro).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s