No ar: Rádio Natura Musical

Lançamento do programa de rádio do Natura Musical com Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes e eu numa festa na Bahia.


Há cerca de 3 anos levei pra Natura uma proposta de “fazer rádio”. Já era uma vontade antiga da empresa, tanto do pessoal do marketing quanto da presidência, e minha idéiia era juntar minha experiência com o Vozes do Brasil e a vocação deles de fomentadores da diversidade.
Bom, quem conhece o meu primeiro livro de entrevistas talvez se lembre da introdução que escrevi :“Entre as Linhas e as Letras das Canções”. Pois bem, esse texto, publicado em 2002, fala sobre minha curiosidade e sobre o trabalho que venho fazendo desde que perguntei ao Cazuza se ele gostava mesmo de Dolores Duran e Lupicinio como eu imaginava. Aos 18 anos eu era uma foca atrevida mas acertei no palpite e fiz minha primeira entrevista pra valer atrapalhando a coletiva da turma mais séria e mais velha. Cazuza adorou o tema e só falou disso dali pra frente. Assim como eu. Meu assunto tem sido esse, como nascem as canções, que história de vida faz de alguém um artista, um músico, um cantor? E, devo dizer, tem sido muito bom trabalhar com isso.

Com o projeto Natura Musical, que é muito mais que uma série de programas de rádio, eu tenho vivido situações emocionantes. Conversei longamente com Vanessa da Mata sobre sua infância no Mato Grosso, troquei leituras com Arnaldo Antunes e soube de Marisa Monte que um dos momentos mais incríveis da carreira dela foi cantar ao lado de Roberto Carlos.

Não resisti e fui buscar pra postar aqui. E é lindo de ver Marisa e Roberto cantando juntos.

Esse material serve pros programas especiais de meia hora e eu ainda converso com muitos artistas sobre suas músicas e histórias. Vai pro ar em 3 emissoras e fica sob demanda no portal Natura Musical. Estamos fazendo um acervo inacreditável, variado e interessantíssimo.

Como eu disse, não é só rádio, tem vídeos incríveis, tem programação musical pra diversos estados de espírito e os editais da Natura que patrocina os artistas mais diferentes, de Naná Vasconcelos a Marcelo Jeneci, de Lenine a Delcio Carvalho e Dona Ivone Lara. A diversidade brasileira é o estofo dessa empreitada da qual me orgulho de fazer parte.

Aqui tem Vanessa da Mata em seu habitat paulistano natural. Um filme muito delicado e sensivel.

Por essas e outras eu recomendo acompanhar o Natura Musical. Ouça no rádio e visite o portal, pra quem gosta de boa música brasileira é um prato cheio!

Yamandu, o corpo do violão.

Toda segunda feira eu gravo o Instrumental Sesc Brasil pro Sesc Tv. E agora, depois de 11 anos direto na Paulista, gravamos no Sesc Consolação. A programação está de arrebentar. Começamos a nova temporada com Pepeu Gomes, depois teve o excelente e jovem Rivotril, o ícone Altamiro Carrilho e ontem Yamandu Costa com Guto Wirtti com um violão baixo trazido da Áustria. Os dois são amigos de infância e conversam no palco como se estivessem em casa. Foi sensacional! Dá pra ver o show sob demanda no site do programa: http://instrumentalsescbrasil.org.br/

Yamandu e eu combinadinhos e Guto Wirtti achando graça. Ao fundo o lindo cenário do Instrumental feito por Zé Carratu.


Yamandu tem essa qualidade rara de se fundir ao instrumento. Não é ele sozinho no palco tocando seu violão, é uma coisa só. É como se o corpo do violão respirasse junto com ele e aquelas sete cordas são a sua voz em “cantábile” como ele mesmo diz. É tão emocional o toque que o instrumento ganha vida.
Uma de suas referências mais fortes é Raphael Rabello, o grande violonista que deixou raridades como gravações da obra de Radamés Gnatali ou aquele disco com Ney Matogrosso que é de chorar de tão bonito. Raphael tirou do choro o violão de 7 e deu liberdade ao instrumento, coisa que Yamandu radicaliza incluindo no repertório suas milongas e chamamés cheios de energia jovem e criativa ao lado de temas de Villa Lobos. Temas, aliás, que ele interpreta como se estivesse tocando numa roda de gaúchos em volta da fogueira no chão batido. É desse chão que vem a sua música. Da correria como músico ainda menino, das influências da fronteira, do jeito lúdico de tocar como brincadeira.
Yamandu mora no Rio de Janeiro e diz que ouve a música de Tom Jobim enquanto passeia pela cidade; seu desejo é que sua música ainda seja ouvida assim, como o perfume de algum lugar. Eu acho que ele chega lá.

Yamandu – Carinhoso
Nesse vídeo Yamandu interpreta o clássico de Pixinguinha com a platéia cantando a letra de João de Barro. É emocionante.

Yamandu e Hamilton de Holanda
Um encontro de titãs! hamilton é um dos melhores bndolinistas do Brasil e tem como Yamandu essa qualidade de transformar o instrumento numa extensão de seu corpo. Gravado no Auditório do Ibirapuera em São Paulo.

Rafael Rabello e Marisa Monte – Cry Me a River (1993)
Um momento histórico! “Cry Me a River” é um clássico da canção mas nenhum violão jamais a fez tão lindamente.

Hoje tem Erasmo Carlos no Vozes!!

imagesEu já tinha anunciado aqui um dia depois da gravação com ele. Mas hoje, aqui por São Paulo, vai pro ar a entrevista que fiz com Erasmo pro Vozes. Ele fala de “Coqueiro Verde”, de Marisa Monte, de Fernanda Porto, Arnaldo Antunes e, claro, do seu disco novo “Rock’n Roll”.
Como eu já falei bastante sobre ele resolvi colar no blog o texto da Rita Lee, olha só que luxo!!!

ERASMO CARLOS – ROCK’N’ROLL

Por Rita Lee

Rock não é coisa para maricas. Erasmo está aí que não me deixa mentir. Ao ouvir esse último trabalho imagino o “gentle giant” cantando no palco vestido de couro preto da cabeça aos pés enquanto marca o beat da música com a mão na coxa. Desde Marlon Brando e James Dean sou chegada num bad boy. Erasmo era o bad boy da Jovem Guarda, o que para mim significa ser ele o verdadeiro pai do rock brasileiro. E no meio dos trocentos clones que poluem as atuais paradas de sucesso com suas mesmices, eis que nosso Tiranossaurus Rex abre alas só com inéditas.

As músicas são a simplicidade com trombetas. As letras o pretinho básico com diamantes. O backing vocal um coral de anjos infernais. Os instrumentos e os arranjos são pérolas do bom gosto (rola até um Farfisa e um Hammond no meio de modernidades sonoras). E toda essa farra pilotada pela produção de Merlin Liminha. Graças aos deuses Erasmo é Erasmo, uma sacação genial se dizer cover de si mesmo no meio dos Elvis, Robertos, Rauls e Beatles, seus roqueiros porretas.

Você vai ouvir um macho apaixonado pelas fêmeas do planeta sem o menor pudor. Entre mulheres melancias, samambaias, melões e jacas, só Erasmo para proclamar aos quatro ventos que a mulher é uma guitarra.E rola de tudo no salão. Melodias lacrimejantes, harmonias delicadas, rocks gaiatos, baladas românticas, declarações rasgadas, deboches safados, conselhos para dor de cotovelo, guitarras sutis, baixos esquisitões, enfim: Erasmo Rock’n’Roll Carlos me deu uma baita inveja da leveza com que ele conduz seu barquinho por entre as tempestades e calmarias da vida. Erasmo, cadê você? Eu vim aqui só pra te ver!

E agora uma gravação antiga da MTV com Edgard novinho mostrando um encontro entre Marisa Monte e o querido Erasmo.

Pra ouvir o Vozes confira as emissoras e horários na página Vozes do Brasil no Rádio aí em cima do blog.

Olha pra Céu, meu amor…

Céu

Céu

Peguei emprestado esse pedacinho da letra de um sucesso de Luiz Gonzaga pra chamar atenção pro trabalho dessa moça. Céu lança novo disco depois de quase 5 anos quietinha. O disco novo se chama “Vagarosa” e tem essa pegada gostosa de quem faz tudo no seu tempo. Com o lançamento do primeiro cd tentaram jogá-la na roda de jovens estrelas, cantoras, compositoras bonitas e talentosas. Ela saiu de fininho. Fez turnê na Europa, vendeu muito disco lá fora e voltou pra casa pra fazer familia e músicas novas.
“Vagarosa” tem produçao de Céu, Beto Villares, Gustavo Lenza e Gui Amabis. Tem participações incríveis de Luiz Melodia, Anelis Assumpção e Thalma de Freitas. Tem homenagem dupla com “Rosa Menina Rosa”pra Jorge Benjor e pra filhota que tem esse nome de flor. Nessa faixa tem a rapaziada da Naçao Zumbi na versão Sebosos Postizos. Tem parceira com Catatau, tem Curumim, Guizado, Bruno Buarque, Marcelo Jeneci, LucasMartins, BNegão, toda uma turma que a gente ouve e lê nas fichas de disco bom.
Fizemos uma entrevista bacana pro Vozes do Brasil que logo logo vai pro ar.
Céu tem patrocínio da Natura que agora, além dos editais de incentivo à diversidade musical brasileira, também aposta em alguns nomes como Arnaldo Antunes, Lenine e Marisa Monte bancando disco e turnês. Céu entrou pro time.

Nesse vídeo que achei no YouTube os gringos se rendem ao charme da moça…